Imprensa internacional repercute decisão de Fachin e Lula elegível em 2022

A decisão do ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal), de anular todas as condenações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no âmbito da Operação Lava Jato também repercutiu na imprensa internacional. O destaque ficou com a retomada dos direitos políticos do petista, que agora pode disputar as próximas eleições se assim o quiser.

“Lula tem condenações anuladas e está livre para desafiar [Jair] Bolsonaro [em 2022]”, publicou o britânico The Guardian. No texto, o jornal ainda cita uma declaração de um analista político brasileiro, dizendo que “a eleição começa hoje” e “é virtualmente impossível que Lula não seja candidato”.

Ler mais

Universal ‘faz jogo estratégico nojento’, diz Malafaia sobre apoio a Kassio Nunes para o STF

Para pastor, igreja de Edir Macedo endossa indicado de Bolsonaro em troca do respaldo do presidente a Crivella e Russomanno

A Igreja Universal faz “um jogo estratégico nojento” ao endossar a indicação do juiz federal Kassio Nunes para o STF (Supremo Tribunal Federal), diz o pastor Silas Malafaia.

Para ele, aliado de primeira hora de Jair Bolsonaro, o indicado “tem amizade com a turma do PT” e “posição muito dúbia” sobre aborto. “Precisa de mais alguma coisa?”

A Universal, segundo Malafaia, devolve um favor pela chancela presidencial a dois candidatos a prefeito: no Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, sobrinho do bispo Edir Macedo, e, em São Paulo, o deputado federal Celso Russomanno. Ambos são do Republicanos, partido ligado à igreja.

Na bancada evangélica, circula a versão de que Malafaia já esteve mais em alta com Bolsonaro. Ele associa a ideia a uma “dor de cotovelo” e diz que o presidente, que lhe dá acesso liberado, costuma brincar: “Quando Malafaia bota dois áudios seguidos no meu zap, eu nem escuto, sei que é bronca”.

Ler mais

Futuro indicado ao STF terá de ser evangélico e ‘tomar tubaína comigo’, diz Bolsonaro

Nesta quinta, presidente anunciou indicação de Kassio Marques para a vaga de Celso de Mello, que antecipou aposentadoria. No ano que vem, indicará o substituto de Marco Aurélio Mello.

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (1º), durante transmissão ao vivo por uma rede social, que o futuro indicado para o Supremo Tribunal Federal precisará ter dois atributos: ser evangélico e “tomar tubaína comigo”.

Durante a transmissão, Bolsonaro anunciou a indicação de Kassio Nunes Marques, católico e desembargador do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1), para a vaga do ministro Celso de Mello, que antecipou a aposentadoria. No ano que vem, terá de indicar outro, para o lugar de Marco Aurélio Mello, que terá de se aposentar compulsoriamente porque completará 75 anos.

Ler mais

Silas Malafaia critica Bolsonaro e seu escolhido para STF: “É uma decepção geral”

O pastor Silas Malafaia publicou um vídeo em suas redes sociais, nesta quinta-feira (1º) para falar da possível escolha do novo integrantes do Supremo Tribunal Federal (STF).

De acordo com o pastor, caso a escolha do nome do desembargador Kassio Nunes Marques, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), para a vaga do ministro Celso de Mello, se confirme, será uma grande decepção.

“Meu presidente, com todo o respeito, como é que o senhor vai indicar um cara para o STF nomeado por Dilma, amigo da petralhada, com posições socialistas”, disse. “É uma decepção geral. O senhor está colocando um camarada que atende o centrão, o PT e a esquerda”, acrescentou.

Ler mais