Papa Francisco pede que religiões não sejam usadas para incitar violência

O papa Francisco pediu neste sábado (22) que “todos parem de instrumentalizar as religiões para incitar ao ódio, à violência, ao extremismo e ao fanatismo cego”.

Em uma publicação em sua conta oficial no Twitter pelo “Dia Internacional das Vítimas de Violência baseada na Crença ou Religião”, o Pontífice afirmou que “Deus não precisa ser defendido por ninguém e não quer que o Seu nome seja usado para aterrorizar as pessoas”.   

“Peço a todos que parem de instrumentalizar as religiões para incitar ao ódio, à violência, ao extremismo e ao fanatismo cego”, acrescentou o texto, acompanhado da hashtag #fraternidadehumana.   

A mensagem repete claramente o conteúdo do documento sobre a fraternidade humana assinado por Jorge Bergoglio e pelo Grande Imã de Al-Azhar, em Abu Dhabi, em 2019, o qual condena “todas as formas de violência, especialmente aquela revestida de motivos religiosos”.   

Recentemente, Francisco já havia dito que a histórica assinatura era “um grande acontecimento humanitário”, um sinal de esperança “por um futuro melhor para a humanidade, um futuro livre de ódio, do rancor, do extremismo e do terrorismo, em que prevalecem os valores da paz, do amor e da fraternidade”.

As vítimas de violência baseada na crença ou religião são lembradas anualmente em todo dia 22 de agosto. O Dia Internacional em Memória das Vítimas de Atos de Violência baseados em Religião ou Crença foi aprovada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 28 de maio de 2019.

Joia do Cristão Com Informações: Folha Gospel e ANSA via IstoÉ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *