Vou repor a perda de 30% de institutos de ciência e tecnologia’, diz Marcos Pontes à Sputnik Brasil

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, concedeu entrevista exclusiva à Sputnik no último dia de sua missão oficial em Portugal. Ele participou do lançamento do EllaLink, cabo submarino de fibra ótica que ligará o Brasil à Europa, e assinou memorandos de cooperação científica.

Nesta quarta-feira (2), aSputnik Brasil esteve no campus da Universidade Nova de Lisboa (UNL) na Caparica, a 15 minutos da capital, onde Marcos Pontes assistiu a uma apresentação da vice-reitora Elvira Lobato, cientista portuguesa que, em março, venceu o WFEO GREE Award Women 2020, maior prêmio internacional de engenharia, destinado a distinguir o trabalho desenvolvido por mulheres.

Ler mais

‘Seria menos mau se todas questões do pacto Mercosul-UE tivessem a ver com Bolsonaro’, diz chanceler

O ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Augusto Santos Silva, disse à Sputnik Brasil, nesta terça-feira (25), que ainda tem o objetivo de avançar no processo de ratificação do acordo comercial entre União Europeia e Mercosul até o fim de junho. Ele negocia um instrumento adicional ao tratado.

No último dia 7 de maio, o ministro da Economia de Portugal, Pedro Siza Vieira, havia afirmado à Sputnik Brasil que não acreditava que seria possível avançar com o acordo comercial durante a presidência portuguesa no Conselho da UE, que termina em 30 de junho. 

Ler mais

Pademia agrava situação de fome em Portugal, com brasileiros na lideranças entre os imigrantes

Os Bancos Alimentares de Portugal contabilizam 60 mil novas pessoas pedindo ajuda em apenas três meses. Reflexo da crise social e econômica causada pela pandemia, que voluntários, instituições e governo tentam enfrentar.

De acordo com a presidente da Federação dos Bancos Alimentares de Portugal, Isabel Jonet, a pandemia não trouxe apenas aumento no número, mas também uma mudança radical no perfil de quem passa fome.

“Nós em Portugal temos uma pobreza estrutural, que é mais ligada à idade, baixas pensões de reforma [aposentadoria], deficiências, e a COVID-19 trouxe pessoas que nunca imaginaram que iam ficar com falta de comida na mesa. Pessoas mais novas, em idade ativa, com filhos, que deixaram de poder trabalhar ou que deixaram de ter a totalidade dos rendimentos. Nem sequer têm o subsídio de alimentação nem quaisquer outras compensações”, diz Isabel Jonet à Sputnik Brasil.

Ler mais