Racismo é tema da 19ª Parada LGBTQIA+ da Bahia; evento estreia neste sábado

Com estreia marcada para o próximo sábado (5), a 19ª Parada LGBTQIA+ terá o racismo na comunidade como central da programação. O evento, que pela primeira vez será em ambiente virtual, será das 18h às 20h nos canais do Instagram, Facebook e Youtube do blog Me Salte e do jornal Correio*.

Nesta edição, algumas das participações serão das cantoras Josyara e Doralyce e do rapper Hiran, entre outros artistas, além da atriz transgênero Matheuzza Xavier, da transformista e produtora do Miss Brasil Gay Versão Bahia, Bagageryer Spilberg, e da primeira vereadora trans e negra eleita para a cidade de São Paulo, Erika Hilton (PSOL). O jornalista Jorge Gauthier fará a apresentação.

Ler mais

FOTOS: as manifestações pela morte de homem negro em supermercado de Porto Alegre

Protestos antirracistas foram registrados em Porto Alegre (RS) e em outras capitais brasileiras, nesta sexta-feira (20), após a morte de João Alberto Silveira Freitas. Ele foi espancado e morto por dois homens brancos que faziam a segurança de uma unidade do Carrefour na capital gaúcha. Os suspeitos tiveram prisão preventiva decretada. Laudo inicial aponta que o soldador, de 40 anos, foi morto por asfixia.

Ler mais

Há 81 anos, Hitler assinava decreto nazista de extermínio de judeus

Depois que a burocracia alemã do Terceiro Reich executou as medidas de desapropriação e concentração dos judeus, o regime nazista chegou a um ponto crítico. Qualquer passo adiante significaria o fim a existência do judaísmo na Europa ocupada. No jargão nazista, a superação desse limite era descrito como a “solução final da questão dos judeus”.

Na verdade, a expressão “solução final” era um eufemismo para a palavra “morte”. O objetivo era matar todos os judeus e pessoas “não arianas”, que aos olhos dos algozes nazistas eram “indignos de viver”.

Em 1º de setembro de 1939, Adolf Hitler assinou um decreto autorizando os médicos e psiquiatras a concederem o que chamavam de “morte de misericórdia” a doentes incuráveis, deficientes mentais e físicos. Esse programa de “eutanásia” atingia todos os cidadãos judeus na Alemanha.

Ler mais

Duas pessoas são mortas a tiros em 3ª noite de protestos antirracismo em cidade americana

Ao menos três pessoas foram baleadas, e duas delas morreram, durante uma noite de caos na cidade de Kenosha, no norte dos Estados Unidos, em meio a protestos pelo fim da violência policial e do racismo.

A cidade teve a terceira noite seguida de atos nesta terça (25), após Jacob Blake, um homem negro, ser baleado pelas costas por agentes brancos durante uma abordagem policial no domingo (23).

Blake, 29, sobreviveu, mas ficou paralisado da cintura para baixo, segundo o pai. Ele segue internado.

Na noite de terça, os manifestantes se reuniram perto do tribunal da cidade, onde foi erguida uma barreira de metal para proteger o prédio, e atiraram pedras, fogos de artifício e garrafas de água contra os policiais.

Ler mais

Kenosha tem 2ª noite de confrontos e protestos após policiais atirarem em homem negro pelas costas

Ativistas incendiaram vários locais em Kenosha, no Wisconsin, durante a noite de segunda (24), no segundo dia de protestos após policiais brancos atirarem pelas costas em Jacob Blake, um homem negro.

Blake, 29, foi alvejado enquanto era abordado por dois agentes brancos chamados para atender um incidente doméstico, na tarde de domingo (23). Ele sobreviveu aos disparos e está em estado grave no hospital.

Os protestos pelo fim da violência policial começaram pacíficos, mas houve cenas de confronto durante a noite. Os manifestantes não respeitaram o toque de recolher e foram confrontados pela polícia e por agentes federais enviados para a cidade. Ao menos uma pessoa ficou ferida.

Ler mais

Ideologia da destruição

Demissão de Weintraub é motivo de comemoração para todos efetivamente comprometidos com a educação

A demissão de Abraham Weintraub do Ministério da Educação é uma festa triste. O convite foi enviado há muito, mas a celebração tardou. Uma festa, porque seu afastamento da cadeira que já foi de Darcy Ribeiro é motivo de comemoração para todos efetivamente comprometidos com esse setor. Triste, pois sua saída não afasta o olavismo esotérico-autoritário do MEC e não há garantia, nem mesmo muita esperança, de que seu sucessor altere a trilha.

Ler mais