Pix é o primeiro passo do BC no caminho da substituição da moeda em espécie pelo real digital, dizem especialistas

Presidente do BC vê o real digital já em circulação em 2022; medida aumentaria a rastreabilidade dos recursos e diminuiria a quantidade de crimes

SÃO PAULO — O início do cadastramento de pessoas no Pix, o sistema de pagamentos instantâneos do Banco Central, foi um primeiro passo para a substituição da moeda em espécie pelo real digital, segundo especialistas ouvidos pelo InfoMoney. Na avaliação deles, o Brasil precisa acompanhar a “tendência mundial” de lançamento de CBDCs — moedas digitais nacionais emitidas por bancos centrais.

A ideia está na pauta do BC brasileiro, segundo Roberto Campos Neto, presidente da instituição, que declarou crer que, já em 2022, o real digital estará em circulação, coexistindo com as versões em notas e moedas. A declaração de Campos Neto, no mês passado, foi seguida pela de Christine Lagarde, presidente do Banco Central Europeu (BCE).

Ler mais