‘Estarrece’, diz ministra do STM sobre decisão no caso Mari Ferrer

Única mulher no Superior Tribunal Militar, Maria Elizabeth Rocha afirmou que influenciadora digital foi vítima de assédio moral e teve direitos violados

Única mulher a integrar o STM (Superior Tribunal Militar), a ministra Maria Elizabeth Rocha afirmou ao Estadão que a influenciadora digital Mariana Ferrer foi vítima de assédio moral e teve seus direitos violados em julgamento do caso em que acusa o empresário André Aranha de estuprá-la. “O processo de Mariana Ferrer estarrece!”, disse a magistrada.

Maria Elizabeth é a primeira mulher de tribunais superiores a comentar o episódio e avaliou como equivocada a atuação do juiz e do promotor. A reportagem procurou também as duas ministras do STF (Supremo Tribunal Federal) e as seis do STJ (Superior Tribunal de Justiça), mas elas não comentaram até a noite desta sexta (6). Rosa Weber e Cármen Lúcia, do STF, nem sequer responderam ao contato da reportagem.

Ler mais