Ex-pastor questiona Igreja Universal na Justiça do Trabalho por ter sido demitido ao engravidar esposa

Religioso afirma ter sido pressionado a fazer uma vasectomia em 2014; igreja nega

Um ex-pastor processa a Igreja Universal do Reino de Deus na Justiça do Trabalho por ter sido dispensado após a esposa descobrir que estava grávida.

Depois de 14 anos dedicados à igreja, Daniel Auada, 37, diz não ter dúvidas de que a demissão guarda relação com a gravidez da esposa, Eliane. Cerca de seis anos antes, o religioso passou por uma vasectomia, procedimento cirúrgico que, segundo ele, só ocorreu por pressão da igreja.

A instituição diz que a Justiça vem negando vínculos empregatícios de religiosos e nega ter obrigado o ex-pastor a se submeter a vasectomia.

Ler mais