STF confirma, por unanimidade, decisão que liberou especial de Natal do Porta dos Fundos com Jesus gay

A decisão suspendendo a exibição foi tomada a pedido da Associação Centro Dom Bosco de Fé e Cultura. Nesta terça-feira, o advogado Leonardo Camanho Camargo, que representa a entidade, afirmou que o STF, no julgamento de um processo identificado como “ADPF 130”, proibiu a censura prévia. No caso do especial do Porta dos Fundos, a decisão foi tomada depois da exibição. Assim, o TJRJ não teria desrespeitado o STF.

— O que a ADPF 130 proibiu foi a censura prévia, a censura da obra no prelo, inédita, antes de ser conhecida pela sociedade — disse Leonardo Camanho Camargo, acrescentando: —Esse filme hediondo foi ar como especial de Natal. Eu queria começar lembrando as palavras do ministro Gilmar Mendes no julgamento da ADPF 130. Sua Excelência disse que “o mundo não se faz apenas de liberdade de imprensa, mas de dignidade da pessoa humana, de respeito à imagem das pessoas”.

Ler mais