‘Diabão’ defende ‘mulher demônia’ de críticas sobre aparência: ‘Felizes’

Casal se relaciona há 11 anos, e há cerca de 4, faz modificações corporais.

A repercussão sobre a aparência da modificadora corporal Carol Praddo, de 35 anos, conhecida como ‘mulher demônia’, gerou muita comoção e diversas críticas nas redes sociais. Ao G1, nesta segunda-feira (5), o marido dela, o também modificador e tatuador Michel Praddo, de 44 anos, que prefere ser chamado de ‘Diabão’, garante que o casal só se incomoda quando as pessoas faltam com respeito, mas que são extremamente felizes por viverem dessa forma.

“Essa galera ignorante sempre vai existir, não é? Eu tenho aprendido a ignorar, não por ser evoluído, mas porque já me causou muito mal. Me incomoda, mas não em relação ao pensamento contrário, a desaprovação ou quando a pessoa expõe seus pensamentos, mas pela falta de respeito. É ruim quando as pessoas são agressivas e te diminuem ou julgam pela aparência”, declara o homem.

Ler mais