Racismo é tema da 19ª Parada LGBTQIA+ da Bahia; evento estreia neste sábado

Com estreia marcada para o próximo sábado (5), a 19ª Parada LGBTQIA+ terá o racismo na comunidade como central da programação. O evento, que pela primeira vez será em ambiente virtual, será das 18h às 20h nos canais do Instagram, Facebook e Youtube do blog Me Salte e do jornal Correio*.

Nesta edição, algumas das participações serão das cantoras Josyara e Doralyce e do rapper Hiran, entre outros artistas, além da atriz transgênero Matheuzza Xavier, da transformista e produtora do Miss Brasil Gay Versão Bahia, Bagageryer Spilberg, e da primeira vereadora trans e negra eleita para a cidade de São Paulo, Erika Hilton (PSOL). O jornalista Jorge Gauthier fará a apresentação.

A primeira mesa de debate começa às 18h, com o idealizador do Coletivo Afrobapho e mobilizador social na “Campanha Jovem Negro Vivo” da Anistia Internacional Brasil, Alan Costa. Ao lado de Ismael Carvalho, cofundador da “Preta Agência de Comunicação”, a mesa “Bichas Pretas” discute a vivência da comunidade LGBT no Brasil e no estado da Bahia, levando reflexões e informações a respeito da vulnerabilidade social de LGBTQIA+ negros e negras.

Na sequência, o evento apresenta a mesa “Negras, Lésbicas e Masculinizadas”. Entre as convidadxs estão a sapatona negra, ativista e idealizadora da página “Sapatona a Entendida”, Bruna Bastos, e a?idealizadora do “Coletivo Merê” e ativista nas causas raciais e de gênero LGBTQIA, Jandira Mawusí. Elas vão falar sobre “lesbianidade” e “afroperspectiva”.

Por último, a mesa “Transexuais e travestis negras não trabalham só em salão” ampliam os debates com a participação da vereadora Erika Hilton e a professora trans de São Francisco do Conde, Inaê Leoni, que é multiartista no Coletivo das Liliths e autora do single “Onda”.

Joia do Cristão Com Informações do Bahianoticias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *