Super dica para você!

Após servir as refeições, os alimentos que estão na panela precisam ser armazenados em potes fechados na geladeira. Podem permanecer sob refrigeração na geladeira por até 3 dias. ⁣

▫ Compre frutas que demoram mais a estragar: maçã, laranja, limão, goiaba, melão, abacaxi. Podem ser utilizadas também as frutas secas e congeladas.⁣

▫ Escolha legumes frescos e resistentes: aipo, brócolis, cebola, batata, batata doce, inhame, cenoura, abóbora. Dica: eles podem ser branqueados e congelados!⁣


▫ Molhos de tomate fresco na geladeira têm a durabilidade de até 3 dias e congelado 30 dias. Observe o pote mais adequado. Não utilize vidros.⁣

▫ Observe a validade nas embalagens de leite fresco. Caixas ou latas em pó têm maior durabilidade. Ao utilizar o leite em pó, prepare a quantidade para uso no dia!⁣

Ler mais

‘Agora é Assim?’: Youtuber Flavia Calina diz que, na quarentena, maior aprendizado dos filhos ocorre nas tarefas em família

A educadora e youtuber Flavia Calina mora nos Estados Unidos e relata para mais de 7 milhões de seguidores como é a rotina de seus três filhos: Victoria, de 6 anos, Henrique, de 3, e Charlie, de 10 meses. Durante a quarentena, ela estáaproveitando as tarefas cotidianas, como o preparo de uma refeição, para estimular a aprendizagem das crianças. (assista ao vídeo acima)

Calina fez o relato durante uma live da série “Agora é Assim?”, do G1, que discutiu o futuro da educação após a pandemia da Covid-19. Veja os principais trechos e a íntegra do vídeo.

“Na hora de cozinhar, chamo a Victoria: leia para mim o que está escrito no pacote de arroz? Aí, ela lê o passo a passo, vê quantos copos de água precisamos colocar para cada porção”, conta Calina. “Eu uso o que estamos fazendo no dia a dia para apresentar as teorias para ela.”

As crianças têm mostrado mais interesse nessas atividades práticas do que nas lições enviadas pela escola. “A Victoria está na educação infantil. Não tinha nada on-line ainda, a professora só manda blocos de papel, aí a gente precisa ler tudo. Eu não estava familiarizada com isso, é um método mais tradicional, de muita repetição”, conta a mãe.

“Em casa, é mais mão na massa, mostro a matemática de forma mais lúdica. Eu sentava com ela, não sei se o pacote de folhas assustava, mas ela bocejava, queria comer, sempre tinha alguma coisa mais interessante para fazer”, completa.

Ler mais